Homepage

Ana de Castro Osório

Alexandre Alves

Família Cabral

Família Pais do Amaral

Felismina Alcântara

João Ferreira de Almeida

Valentim Augusto Silva

Bibliografia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Família Amaral Osório, Barões e Viscondes de Almeidinha

         Esta família mandou construir a Casa de Almeidinha, sendo a primeira edificação em meados do séc. XVI por Estêvão Dias do Amaral. Mais tarde, seu filho Gaspar Pais do Amaral manda erguer a capela, em 1590 e em 1610 institui o vínculo do Espírito Santo. Esta casa apresenta magnificas janelas, uma varanda com um frontão onde se encontra o brasão Amarais. Assim, esta casa está integrada numa quinta tem uma decoração de interiores ao séc. XVIII.

           "Os senhores da Casa de Almeidinha não querem tal parentesco com os de Mangualde [Pais do Amaral] em razão de que os seus Amarais são legítimos dos Cardosos de Asentis, quando os de Mangualde têm outras contradições e bem palpáveis"1.

Casa de Almeidinha

in:http://www.geneall.net/P/tit_page.php?id=59

         Posteriormente, senhor de Almeidinha é Manuel Osório do Amaral, que mandou em 1662 dourar e pintar os retábulos colaterais da Igreja de São Julião de Azurara de estilo maneirista. Reedificou a capela junto à sua casa, onde colocou uma lápide onde afirma isto e ainda "cravo o velho brasão esquartelado por seu pai, com as armas dos Amarais (6 meias luas), Osórios (2 lobos), Cabrais (2 cabras) e Fonsecas (5 estrelas de sete pontas)"2.

          Em 1746 nasceu José Osório do Amaral Sarmento e Vasconcelos, 1º Barão de Almeidinha, Mangualde casou em 30 de Abril de 1821 com Maria Benedita de Sousa Quevedo Pizarro. Deste casamento apenas houve uma criança João Carlos do Amaral Osório de Sousa Pizarro. O 1º barão de Almeidinha faleceu em 20 de Janeiro de 1844. O título de Barões e Almeidinha foi criado por D. Maria II "por decreto de 04-03-1840"3 devido à sua importância durante as lutas liberais.

          Só no reinado de D. Luís "por decreto de 20-12-1865 e por carta de 25-12-1865"4 é que João Carlos do Amaral Osório de Sousa Pizarro é o 2.º Barão de Almeidinha e ascende a 1.º visconde de Almeidinha, casou duas vezes a primeira com Maria Henriqueta de Sousa Botelho Pizarro a 25 de Fevereiro de 1838 e a segunda vez com Vitória Catalá de Ascencio y Domenech. Era Rico detentor de uma fortuna que gastou numa vida fácil e mundana.

         Segundo Valentim um dos seus descendentes era José Carlos do Amaral Osório, mas segundo o site de genealogia o sucessor foi Gaspar Osório do Amaral de Sousa Pizarro que nasceu em Aveiro filho do primeiro casamento nasceu 24 de Dezembro de 1841 e casou com Elvira Rosa de Miranda. Tiveram um único filho Estêvão  Luís Osório do Amaral e Sousa, o qual nasceu no Pombal em 23 de Fevereiro de 1873 e casou com Maria José Telo Magalhães Nunes da Costa, nascendo deste matrimónio Danilo Emanuel do Amaral Osório. Este nasceu no Brasil em 5 de Janeiro de 1915 e casou com Maria Joaquina Alberto de Oliveira. Por último deste casamento nasceu o 2.º Visconde de Almeidinha Gonçalo José de Oliveira do Amaral Osório que nasceu em Coimbra a 26 de Setembro de 1937. Casou com Cesaltina Elias Mata  em 16 de Julho de 1960 e ainda se encontram vivos. Toda esta informação é baseada no site de e genealogia: http://www.geneall.net/P/.

          A casa de Almeidinha tornou-se um imóvel público em 1978.

 

1 - SILVA, Valentim da - Concelho de Mangualde (Antigo Concelho de Azurara da Beira): Subsídios para a História de Portugal. 220 p

2 - CARDOSO, Anabela dos Santos Ramos - Casas Solarengas no concelho de Mangualde. 19 p.

3 - GeneAll.net. [Em linha] - [Consultado em 23/05/2007]. Actualização diária. Disponível em WWW:URL:<http://www.geneall.net/P/tit_page.php?id=59>

4 - GeneAll.net. [Em linha] - [Consultado em 23/05/2007]. Actualização diária. Disponível em WWW:URL:<http://www.geneall.net/P/tit_page.php?id=60>